quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

PASSOS COELHO E OS MAÇONS: PERDOAI-LHES PORTUGUESES QUE NÃO SABEM O QUE FAZEM!

«Há centros de saúde a cobrar três euros para responder a dúvidas colocadas aos médicos de família pelos utentes através de correio eletrónico (email), por telefone ou carta, avança a TSF.
Alguns centros de saúde contactados por esta estação de rádio lembram que a cobrança está prevista na portaria que aprova a novas taxas moderadoras.
Com efeito, de acordo o n.º 2, alínea "k" da Portaria n.º 306-A/2011 são consideradas "consultas sem a presença do utente" aquelas que podem resultar num "aconselhamento, prescrição ou encaminhamento para outro serviço".
No diploma pode ainda ler-se que: "esta consulta pode estar associada a várias formas de comunicação utilizada, designadamente: através de terceira pessoa, por correio tradicional, por telefone, por correio eletrónico, ou outro".

"Absolutamente inaceitável"

Em declarações à TSF o bastonário da Ordem dos Médicos considerou esta prática inaceitável.
"Não se pode chamar a isso consulta porque o doente não está presente, quem vai emitir uma opinião pode nunca ter visto o doente. Portanto, não há aí um ato de consulta, não pode ser taxado dessa maneira, nem sequer é um ato de moderação de consumo, isso é absolutamente inaceitável", afirmou José Manuel Silva, apelando para o "bom senso".
Mário Jorge dos Santos, presidente da Associação de Médicos de Saúde Pública, também discorda desta cobrança, mas lembrou à TSF que a lei prevê o pagamento de qualquer ato clínico do médico feito por telefone, email, carta ou através de uma terceira pessoa.
Está agendada para hoje uma reunião entre as direções dos vários centros de saúde de Lisboa e as administrações regional e central dos Sistemas de Saúde para analisar a nova Portaria.»
Passo Coelho é um dos políticos a quem Tiago Mesquita aconselha um colar cervical.
Porquê? Porque como arauto da defesa de um novo paradigma, de um país competitivo continua na senda da incompetitividade. Aumentar os custos na saúde, na alimentação, às empresas (como se vê pelo caso JM) é o quê?  

Portugueses comuns, perdoai-lhe que eles não sabem o que fazem!

Sem comentários:

Publicar um comentário