terça-feira, 4 de junho de 2013

O PSD DA TRETA

“No dia em que eu achar que não estou bem no PSD saio. Não passo a vida a agredir o meu partido e o Governo que o meu partido apoia”. As palavras, citadas pelo i, pertencem ao vice-presidente da bancada parlamentar social-democrata, José de Matos Correia, e reportam-se à postura adoptada por Pacheco Pereira.
Recorde-se que na passada semana o comentador político se juntou à esquerda do País, sendo que apesar de não ter comparecido no encontro promovido pelo antigo chefe de Estado e histórico socialista, Mário Soares, apoiou a iniciativa, algo que os militantes do PSD não vêem com bons olhos.
“Não sei o que é pior. Se é um militante candidatar-se contra o PSD ou passar 90% do tempo a dizer mal do próprio partido”, reage, por sua vez, o deputado social-democrata, Duarte Marques.
Aliás, são muitos os políticos ouvidos pelo i que sugerem que Pacheco Pereira saia do partido, isto porque, sustenta Matos Correia, “não se pode ao mesmo tempo vestir a camisola de uma equipa e estar contra ela. Se estou contra, abandono a equipa”, conclui o responsável.
Esta gentalha medíocre, meninos sem coração que tomaram conta do PSD, mereciam todos ser corridos a pontapé já que desmerecem da herança de Sá Carneiro!  

Sem comentários:

Publicar um comentário