domingo, 28 de outubro de 2012

O EUFEMISMO DE PASSOS: REFUNDAÇÃO. O FORTE REI FAZ FRACA A FORTE GENTE, MAS OS POVOS SÃO SOBERANOS MUITO ACIMA DOS REIS COM A FALSA LEGITIMIDADE DA MENTIRA.

«A economista Cristina Semblano, investigadora e professora universitária em França, afirmou hoje, em Paris, que «Portugal pagou a entrada no Euro com a estagnação da sua economia», defendendo que os portugueses no exterior podem ajudar na saída da crise.
«Portugal pagou a entrada na zona euro com a estagnação da sua economia, na medida em que entrou no Euro com uma moeda sobreavaliada [em cerca de] 30%, o que fez diminuir muito a competitividade da economia», disse à Lusa Cristina Semblano, primeira oradora no 9.º Encontro Nacional das Associações Portuguesas de França, que decorre hoje.
Essa perda de competitividade, explicou, «foi acentuada pela abertura [do mercado comum] aos mercados dos países de Leste, e mais tarde à China, que, como Portugal, têm uma produção pouco diferenciada, mas muito mais barata».
Cristina Semblano, também coordenadora do gabinete de estudos de uma entidade bancária na capital francesa, disse ainda que «todos podem entrar nas soluções para a saída da crise», incluindo as comunidades portuguesas no estrangeiro.
«As comunidades portuguesas podem participar porque [acredito] que o que pode mudar a situação são os povos», acrescentou, dando o exemplo da Islândia, onde, por pressão «de um terço» do povo, se conseguiu uma «renegociação da dívida, um alargamento dos prazos, e uma anulação de parte da dívida».
«Há uma única resposta: a resposta é o povo. E as comunidades são parte do povo português, podem ter voz activa», concluiu.
O 9.º Encontro Nacional das Associações Portuguesas de França é organizado pela Coordenação das Colectividades Portuguesas em França (CCPF), em parceria com outras associações da comunidade.
As associações juntaram-se hoje em Paris para debater a situação de crise em Portugal, o papel das associações face aos novos emigrantes em França, e o ensino do português neste país.»

Sem comentários:

Publicar um comentário