quarta-feira, 4 de julho de 2012

UMA ANEDOTA CHAMADA ERSE

«Os aumentos dos preços da eletricidade e do gás até ao final do ano «não serão punitivos». A garantia parte do presidente da Entidade reguladora da Energia (ERSE).

Vitor Santos adiantou esta quarta-feira que, até ao final do ano, o regulador vai «criar as condições para que as tarifas reflitam a variação dos custos».

«Não pode acontecer que as tarifas reguladas estejam abaixo dos preços de mercado», acrescentou, citado pela Lusa, à margem de uma conferência promovida pelo «Diário Economico» subordinada ao tema da «Energia: os desafios da liberalização do mercado».
Qualquer economista de empresa que não tenha tirado o curso em um ano com equivalências a cadeiras que estava a pensar fazer, sabe, que o poder de mercado significa ineficiências das próprias empresas que têm pouco propensão para diminuir os seus custos.
É isso que acontece com a Galp e Edp pelo que a regulação da EDP e GALP são «uma fraude» no sentido de que estas empresas apresentam os custos à medida da sua criatividade. Não é por acaso que não se percebe como a EDP tem mil milhões de lucros em ano de crise e quando todos os sectores se ajustam pela baixa. 
Pelo contrário a EDP continua a ajustar-se em alta ganhando na divisão entre consumidor/ produtor. 
Assim, está sempre protegida da crise. 
Quanto menos consumidores, mais cobra para cobrir a perda de consumos.
É por isso que o regulador é apenas uma anedota (e o melhor amigo dos monopólios e duopólios) e um custo acrescido para o consumidor que perde na relação - e ainda por cima é que paga.
A EDP entretanto é uma empresa apetecida com os seus salários milionários nas administrações!  

Sem comentários:

Publicar um comentário