domingo, 2 de setembro de 2012

MOTA SOARES, O NOVO ESCLAVAGISTA

O partido 6% teve a hipótese de tomar a medida mais mesquinha e esclavagista que ver se vê.
Em vez de combater a fraude em quem quer acumular trabalho com RSI, faz dos beneficiários desta prestação de última instância um instrumento de trabalho escravo.
Como tal e à luz da Constituição da República Portuguesa, não passa de um criminoso, de um esclavagista dos tempos modernos.
Daqueles que a Constituição diz que nos devemos defender por todos os meios.
Antes de ser governo o Mota Soares, licenciado na Independente com 11, era muito simpático nas injustiças do anterior desgoverno.

Portugal precisa de uma vassourada destes políticos das Universidades de Verão!

«GOVERNO PROMOVE TRABALHO ESCRAVO COMO NA ANTIGUIDADE!
É isso mesmo, tal como no tempo da escravatura. Esta noite comprovei tal prática de trabalho escravo por uma pessoa que o vai exercer, no pólo de Silves do Instituto de Emprego e Formação Profissional - dar formação e trabalhar na jardinagem durante 14 meses. Este verdadeiro escravo vai receber por mês 146,00 € de RSI, a que acresce 4,17 € de
subsídio de refeição por dia. Como trabalha 20 dias mensais (o valor dos subsídios de refeição atinge 83,40 €) a importância a receber no fim do mês totaliza 229,40 €. Como trabalha 35 h por semana, ou seja 140 h por mês, o preço a pagar por hora de trabalho dá 1,64 € (por arredondamento). O que é isto senão trabalho escravo?
Vejamos melhor: ao fim de 7 h diárias de trabalho, o escravo recebe 11,48 € e que tem de dar para o pequeno-almoço, almoço e jantar! Com esta importância diária só pode passar fome. Na Antiguidade os escravos nada recebiam, a não ser a alimentação, cujo valor da mesma até seria em muitos casos superior a 11,48 €, descontando as diferenças do tempo, claro.
Então qual a diferença entre os tempos da escravatura praticada, por exemplo, pelo antigos egípcios ou pelo Império Romano, ou mesmo praticada pelos impérios coloniais da Europa sobre os escravos negros durante os Descobrimentos, ou mesmo a praticada pelo regime nazi, e a escravatura praticada pelo governo do PSD/CDS? A diferença reside apenas nos maus tratos, na tortura e na morte dos escravos. Mesmo assim, os escravos deste governo que "tem tanta sensibilidade social" (que não passa de uma cambada de patifes e de novos esclavagistas contemporâneos), também estão sujeitos a todo o tipo de violência psicológica, pois para sobreviverem têm de sujeitar-se a esta nova escravatura.
Já vai sendo tempo - antes que seja tarde demais - para os cidadãos de boa vontade deste país, dos democratas, dos jovens, dos desempregados, dos precários, dos novos escravos, se unirem e expulsarem do poder os esclavagistas contemporâneos!
João Vasconcelos»

Sem comentários:

Publicar um comentário