sexta-feira, 22 de março de 2013

DISCORDÂNCIA COM CATROGA

«Eduardo Catroga lembra que era evidente que, face à necessária redução do défice de um valor próximo de 11% ou 12% do PIB para um valor inferior a 3%, era inevitável um aumento de impostos. Mas o Governo, prossegue o economista, também deveria ter feito ver à 'troika' que este tipo de ajustamento teria de ser feito, não em três anos, mas em cinco ou seis anos, no mínimo. E mesmo neste cenário, o economista sublinha que o Governo deveria ter explicado que face ao esforço que era necessário fazer, teria de haver um período em que transitoriamente os impostos teriam de aumentar.»
NÃO, NÃO ERA INEVITÁVEL TER AUMENTADO OS IMPOSTOS.  
PORQUE ESSE FOI O ERRO DO GOVERNO.
NÃO TER FEITO LOGO UM ORÇAMENTO DE BASE ZERO, DESPEDINDO APENAS NAS GORDURAS POLÍTICAS DO ESTADO, DESBUROCRATIZANDO, COMBATENDO O DÉFICE PELO CRESCIMENTO, UNINDO OS PORTUGUESES NA NECESSIDADE DE PRODUZIR MAIS MELHOR, NÃO EMPURRANDO SANGUE NOVO PARA A EMIGRAÇÃO. 
EM VEZ DISSO O GURU GASPAR RESOLVEU CRIAR DESCONFIANÇA E AUMENTAR BRUTALMENTE OS IMPOSTOS DIMINUINDO O PRODUTO E A RECEITA FISCAL. 
 

2 comentários:

Ricardo disse...

O sr Catroga vem agora dizer que era preciso mais anos?Agora é um pouco tarde não?Ele já conseguiu os tachos deste governo(depois de ter estado no tal acordo da lapa e do pec4) e não conseguiu dizer isso(ou não lhe passaram cartão?) ao sr Coelho em 2011 quando se assinou o acordo com a troika??

CLIP - Rio Maior disse...

http://www.oribatejo.pt/2010/09/15-medidas-para-salvar-portugal/

Publicar um comentário