domingo, 21 de outubro de 2012

RUI TAVARES, MERKEL E A DESUNIÃO EUROPEIA

«A resposta é que foi necessária uma enorme dose de ignorância histórica, mesquinhez e falta de visão. E a chanceler Merkel desempenhou bem o seu papel. Quando há dois anos e meio se descobriu que um governo grego tinha falsificado as suas contas, usou o povo grego como bode expiatório em plena campanha eleitoral e depois ficou nas mãos dos fantasmas que ajudou a soltar. Os seus eleitores ficaram convencidos de que qualquer solução para o problema grego (e depois irlandês, português, e por aí adiante) significaria “o contribuinte alemão pagar as dívidas dos povos do Sul” e foi assim que um problema de 50 mil milhões de euros conseguiu tornar-se numa crise existencial europeia.»

Sem comentários:

Publicar um comentário