quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A MACROECONOMIA, ESSA INSTÁVEL

«É que me lembro da definição: um economista é alguém que no futuro nos explicará a razão pela qual as previsões que fez no passado acabaram por não se confirmar no presente. Nem sempre é assim, mas...»: Seixas da Costa
É verdade que a economia só se encontra no futuro. A imprevisibilidade depende da soma das racionalidades e de factores aleatórios não explicáveis por mais que diletantes e arrastados apostem nos modelos da econometria.
E é talvez por isso que Talcott Parsons, o sociólogo, começou a sua carreira como economista e acabou como sociológo. 
Faltava à economia, para Parsons,  a compreensão do tecido social.
E é por isso também que há muitos anos penso que o que necessitamos como figura central não é um ministro das finanças, mas o da economia (MEF- ministério da economia e finanças).
E em vez de valorizarmos os grandes agregados e a macroeconomia, temos de mimar a micro (onde os fenómenos são mais estáveis e assertivos) e são a semente da macroeconomia.

Sem comentários:

Publicar um comentário