quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A FRASE DA NOITE DE ONTEM: ADIVINHEM QUEM?

Com um cinismo que raia o imperdível: 

«se o poeta é um fingidor porque não hão-de os políticos serem mentirosos?»

Obviamente que esta frase só podia sair de um ex-político, de um ex-bastonário cujo amor à humanidade e às boas práticas ideológicas já se perdeu no realismo do: "que se lixe o outro".

É o Portugal que temos e o mundo real que não se compadece com lirismos humanistas, dirão. 

Pois! Mas no limite, que é curto, estaremos todos mortos e que sentido teria/terá a vida sem um pouco de transmissão às gerações seguintes que pelo humanismo é que vamos!

Sem comentários:

Publicar um comentário