sábado, 28 de janeiro de 2012

O MONSTRO NÃO EMAGRECE, ANTES EMAGRECE A ECONOMIA

«Analisando em mais detalhe, vemos que não é bem assim. O subsector Estado (leia-se ministérios) melhorou o seu saldo consolidado em 1915 milhões de euros, que é cerca de metade da melhoria do saldo, incluindo as despesas com transferências para os FSA, ARL e SS. Claro que, ao reduzir transferências, por exemplo, para a Caixa Geral de Aposentações (um FSA), o subsector Estado melhora o seu saldo, mas os FSA pioram. A melhoria das contas do subsector Estado vem essencialmente do aumento da receita corrente e em menor grau da redução da despesa de capital. Em resumo, o aumento do nível de fiscalidade (mais 1952 milhões de euros) e a diminuição das transferências do subsector Estado, e suas consequências noutros subsectores, explicam a redução do défice em 2011.»

Sem comentários:

Publicar um comentário